Defensora pública substituta Marina Dantas Pereira é empossada no cargo

Defensora pública substituta Marina Dantas Pereira é empossada no cargo

19/04/2021 Notícias 0

A Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina realizou, na tarde desta segunda-feira (19 de abril), a solenidade de posse da nova defensora pública substituta Marina Dantas Pereira. O evento aconteceu no gabinete do Defensor Público-Geral, Renan Soares de Souza, que agradeceu a escolha de Marina Dantas Pereira, que já atuava há quase três anos na Defensoria Pública de Rondônia, em vir para o Estado de Santa Catarina, desejando-lhe boas vindas. Participaram também da cerimônia a Subdefensora Pública-Geral, Dayana Luz, a Subcorregedora-Geral, Glenda Rose Gonçalves Chaves, e o presidente da ADEPESC – Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Estado de Santa Catarina, Tauser Ximenes Farias. O marido da defensora, o advogado Humberto Albino da Costa Junior, também assistiu presencialmente à posse, acompanhada pelos familiares da defensora na transmissão pelo canal do Youtube da DPESC.

Na cerimônia de posse, a Subdefensora Pública-Geral Dayana Luz, a defensora pública substituta Marina Dantas Pereira, o Defensor Público-Geral Renan Soares de Souza e a Subcorregedera-Geral Glenda Rose Gonçalves Chaves

Natural da cidade de Cuité, na Paraíba, Marina Dantas Pereira formou-se em Direito pela Universidade Estadual da Paraíba – UEPB em 2011 e, desde 2018, estava atuando como defensora pública na cidade de Ouro Preto do Oeste, em Rondônia. Em seu discurso de posse, ela agradeceu o carinho da população rondoniense. 

“Não foi fácil sair de casa longe dos nossos, seguir um novo caminho, solitário, nas fronteiras do Brasil. Foi na solitude, nesse desbravar, que me tornei defensora pública. Foi em Rondônia que conheci o abraço irmão que me ensinou sobre fraternidade, sororidade, empatia e a defensorar. Aprendi que Defensoria é um respirar. É aquele último suspiro de esperança, é o que resiste, persiste, que se despe de qualquer regalia. É ser contramajoritário e até sofrer por isso, mas nunca desistir por isso. Aprendemos que ser defensor público não é sobre si mesmos. Não importa a nossa história, não importa a nossa vida, não importa a Marina. Hoje nossa voz é para o João, para o Francisco, Maria, para o da Silva. São essas histórias que importam, são elas que falam. Somos apenas o meio, o fio condutor para um final justo e digo, É um ser que só existe no coletivo, não temos nomes, temos denominação, somos defensores públicos”, disse ela.

Colega que se tornou amigo de Marina nos cursos preparatórios e em concursos em outros estados, além de Santa Catarina, onde participaram juntos da fase final, o presidente da ADEPESC, Tauser Ximenes Farias, disse se sentir honrado, em um de seus últimos atos à frente da associação, participar da posse da nova defensora. “É uma imensa alegria recepcionar a nova defensora, uma amiga que já conhece o que a Defensoria Pública, que sabe o que é defensorar. Somos gratos, Marina, por você ter nos escolhido, ter escolhido Santa Catarina”, afirmou.

Marina Dantas Pereira e Tauser Ximenes Farias

A Subecorregedora-geral Glenda Rose Gonçalves Chaves, que também participou da posse anterior da defensora pública substituta Paula Canal Fávero, no mês passado, desejou boas-vindas à nova defensora. “É algo que nos dá muita satisfação ver as mulheres ocupando os cargos públicos, ainda mais uma colega que chega trazendo sua experiência, sabendo o que é defensorar, sabendo o que é fazer a gestão dos processos. Desejo que a sua vinda para Santa Catarina lhe traga muitos frutos, pessoal e profissionalmente”, disse Glenda.

Para a Subdefensora Pública-Geral, Dayana Luz, a data de 19 de abril, dia da resistência dos povos indígenas na luta pelos seus direitos, ficará marcada com carinho na trajetória da nova defensora pública em Santa Catarina. “Certamente, a doutora Marina trará suas experiências na Defensoria de Rondônia para o seu trabalho em nosso estado. A vida de uma defensora pública e de um defensor público não é fácil, uma luta pela garantia dos direitos daqueles que são mais desprotegidos que nem sempre tem o devido reconhecimento, mas que muda a vida das pessoas que auxiliamos, sobretudo numa época de pandemia que agravou ainda mais a sua vulnerabilidade”, falou Dayana.

O Defensor Público-geral Renan Soares de Souza também destacou o dia 19 de abril, lembrando que foi nessa data que iniciou a sua trajetória em Santa Catarina. “Agradeço a escolha da colega Marina, que já atuava em outro estado. Sua experiência é muito importante para a Defensoria de Santa Catarina pois certamente irá nos trazer um olhar diferenciado sobre a nossa atuação, auxiliando a nossa caminhada institucional. Essa vivência de três anos como defensora pública nos ajudará em nossa missão de prestar assistência e oferecer acesso à justiça a todos os que dela necessitam, aos mais vulneráveis. Seja bem-vinda à Defensoria Pública de Santa Catarina. Viva a Defensoria”, declarou.