Defensoria Pública de Joinville presta orientação jurídica gratuita para a população do bairro Jardim Paraíso

Defensoria Pública de Joinville presta orientação jurídica gratuita para a população do bairro Jardim Paraíso

26/11/2021 Notícias 0

A Defensoria Pública de Joinville participou, na tarde desta sexta-feira, de uma ação no bairro Jardim Paraíso, na região Norte da cidade, prestando orientação jurídica gratuita à população. Chamado de Mutirão do Emprego, a atividade foi organizada pelo vereador Ascendino Batista. Participaram da ação, realizada nas dependências da Igreja Amamos Vidas, as defensoras Fernanda Aparecida Silva de Menezes e Juliane Schlichting, o defensor Nobuyuki Hayashi, a analista jurídica Ana Maria Siqueira e as estagiárias Ana Julia Freitas da Silva e Bruna Ribeiro.

A defensora Juliane Schlichting disse que a Defensoria recebeu com muita satisfação o convite do vereador pastor Ascendino para participar dessa ação no Jardim Paraíso, uma área de extrema vulnerabilidade social de Joinville. Segundo ela, a iniciativa é fruto da aproximação desencadeada pela instituição com os poderes Executivo e Legislativo do Município.

“Essa aproximação está sendo de suma importância porque várias demandas que, às vezes, não chegam ao nosso conhecimento, foram reportadas à Defensoria e, assim, a gente pôde criar iniciativas para atendê-las. Neste momento em específico, a felicidade é ainda maior porque, depois de todo este tempo de pandemia, a gente vai conseguir se reunir e atender o cidadão nessas ações de educação em direitos e orientação jurídica que são tão importantes”, afirmou.

O Mutirão do Emprego é um evento itinerante que acontece três vezes por ano em Joinville e costuma envolver cerca de 400 moradores de cada bairro em que a atividade é desenvolvida. “São, em sua maioria, pessoas que não têm condições financeiras para se deslocar até a sede do Núcleo da Defensoria, pessoas que também têm dificuldade de acesso aos meios digitais. Por isso é muito importante que a gente vá até esse cidadão para prestar essa orientação jurídica”, disse a defensora.

Juliane citou o verso da canção Nos Bailes da Vida, de Milton Nascimento: “Todo artista tem de ir aonde o povo está. A Defensoria é uma instituição que necessita estar perto do povo, a educação em direitos não pode ser feita apenas com vídeos e publicações na internet. Lógico que tudo isso é importante, mas para determinadas pessoas a tecnologia é inacessível e, obviamente, o cara a cara é fundamental, principalmente para essa população que é tão vulnerável e que não tem condições de se deslocar até a Defensoria sem que o gasto com transporte não comprometa o seu orçamento familiar”, afirmou.