Defensoria Pública passa a ter nova representação junto ao Conselho Estadual de Direitos Humanos

Defensoria Pública passa a ter nova representação junto ao Conselho Estadual de Direitos Humanos

11/03/2021 Notícias 0

As defensoras públicas Ana Paula Fischer e Anne Teive Auras, coordenadoras, respectivamente, dos núcleos especializados de Cidadania, Igualdade, Diversidade, Direitos Humanos e Coletivos – NUCIDH e de Proteção e Defesa dos Direitos das Mulheres – NUDEM, da Defensoria Pública de Santa Catarina, participaram por videoconferência, na tarde desta quinta-feira (11), da última reunião da atual gestão do Conselho Estadual de Direitos Humanos – CEDH/SC, órgão que tem por finalidade promover e defender os direitos humanos e fomentar as garantias fundamentais, a liberdade individual e a igualdade de direitos civis, culturais, econômicos e sociais em Santa Catarina.

Anne Teive Auras e o defensor público João Joffily Coutinho, enquanto representantes da Associação dos Defensores Públicos de Santa Catarina, estão encerrando o seu segundo mandato junto ao CEDH/SC, quatro anos, no total, de reuniões plenárias mensais nas quais a ADEPESC contribuiu para a promoção dos direitos humanos e a implementação de políticas públicas no Estado de Santa Catarina. A partir de agora, a Defensoria Pública de Santa Catarina terá representação no Conselho pela coordenadora do NUCIDH, Ana Paula Fischer, movimento imprescindível de aproximação da sociedade civil que fortalece a luta pela garantia de direitos dos grupos vulneráveis e promove discussões que fomentarão atuações efetivas na tutela coletiva.

De acordo com a coordenadora do NUCIDH, a Defensoria Pública tem como objetivo institucional, dentre outros, a proteção da dignidade da pessoa humana, além da prevalência e efetividade dos Direitos Humanos. “Nossa atuação envolve especialmente a preservação e reparação dos direitos de grupos sociais vulneráveis e de pessoas vítimas de tortura, discriminação ou qualquer outra forma de opressão ou violência. E desejamos atuar conjuntamente com o Conselho Estadual de Direitos Humanos neste sentido”, disse Ana Paula Fischer.