Defensoria Pública retoma atendimento presencial previamente agendado e para casos de urgência na nova sede da Capital

Defensoria Pública retoma atendimento presencial previamente agendado e para casos de urgência na nova sede da Capital

05/07/2021 Notícias 0

A Defensoria Pública de Santa Catarina está de casa nova, no prédio sede agora localizado na Avenida Rio Branco, 919, no Centro da Capital, onde, desde a semana passada, foi retomado o atendimento presencial previamente agendado e para casos de urgência. Em sete dias, apenas nos casos urgentes, foram atendidas cerca de 50 pessoas pela técnica administrativa Joelma Turossi Orbem, a maioria das quais buscando orientação jurídica e soluções em situações envolvendo questões de família. Do total de atendimentos feitos, três envolviam questões criminais e aproximadamente 10 pessoas procuraram a Defensoria Pública buscando assistência em questões cíveis.

Casos como o do motorista de aplicativo Jerônimo Rodrigues, que foi excluído da plataforma que prestava serviços porque há outra pessoa, com o mesmo nome, apesar do RG e CPF diferentes, atuando no Paraná. “Foi um ex-colega que indicou a Defensoria Pública para mim. Estou pedindo reingresso na plataforma, porque fui excluído simplesmente por ter o mesmo nome de outra pessoa. Teve uma audiência de conciliação, mas não houve acordo. Agora vamos ter outra audiência e vim aqui entregar outros documentos”, explicou.

Cristiano Passos da Silva também procurou pela primeira vez a Defensoria para ver se conseguia parcelar um débito com os honorários advocatícios da concessionária que ingressou com uma ação de busca e apreensão do seu automóvel. “Eu comprei o carro e , pouco depois, bati com ele. Não conseguia mais pagar as prestações. Um amigo me aconselhou a esperar eles darem busca e apreensão, mas agora apareceu essa cobrança desse débito que eu não tenho condições de arcar. Quero ver se consigo parcelar isso”, afirmou.

A diarista Tais Fernanda Anzaloni procurou atendimento em um caso envolvendo questões familiares. “Liguei para a Defensoria para marcar o atendimento. Mas recebi uma intimação, então liguei de novo, falei com a Joelma, e agora estou entregando os documentos que foram pedidos. Achei ótimo o atendimento, todo mundo foi muito prestativo, me orientaram direitinho sobre tudo o que eu precisava fazer”, elogiou ela.

De acordo com o defensor público Juliano Gonçalves da Silva, Supervisor da Triagem da Defensoria Pública da Capital, a instituição trabalha com duas modalidades de atendimento: o remoto, onde a pessoa entra no site e faz o agendamento pelo SAO (Sistema de Agendamento Online), e o presencial, onde igualmente a pessoa precisa entrar no site da defensoria para marcar o horário em que vai ser atendida.

“Quando a pessoa tem alguma situação urgente relacionada, por exemplo, a prazos processuais, casos de saúde, situações de violência doméstica, ou envolvendo criança e adolescente, ela pode comparecer aqui na Defensoria que haverá um servidor destacado para atendê-la. O objetivo é que o assistido sempre tente realizar o agendamento do horário para evitar aglomerações. Mas toda a equipe da triagem está seguindo as normas sanitárias de proteção à Covid-19”, disse o defensor.

Segundo ele, a Defensoria Pública ampliou a estrutura física em relação ao prédio anterior. “Agora conseguimos ter espaços individualizados de atendimento. E também, situação que não comportava no antigo prédio, podemos pensar em ampliar a equipe para que as pessoas não fiquem sem atendimento por conta do esgotamento do agendamento”, disse Juliano Gonçalves da Silva, acrescentando que a sala de espera também tem agora um amplo espaço, que proporciona maior distanciamento, já visando à ampliação da retomada das atividades normais com o arrefecimento da pandemia da Covid-19.