EM BLUMENAU, AÇÃO CIVIL PÚBLICA APONTA RISCO A PROFISSIONAIS DE SAÚDE QUE ATUAM NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

EM BLUMENAU, AÇÃO CIVIL PÚBLICA APONTA RISCO A PROFISSIONAIS DE SAÚDE QUE ATUAM NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

11/05/2020 Notícias 0

 Publicado: 11 Mai 2020

A Justiça determinou que secretaria de Saúde de Blumenau apresente um plano com diretrizes para profissionais e estabelecimentos de saúde que atuam na prevenção e no combate à COVID-19 no município. O município tem até terça-feira (12) para se manifestar sobre a liminar.

De acordo com a ação pública movida pela Defensoria Pública de Santa Catarina (DPE-SC), unidades básicas e hospitais não receberam qualquer tipo de normativa da prefeitura, o que não só tem dificultado o trabalho das equipes como pode estar colaborando para a transmissão do vírus. Conforme o pedido, falta gestão, orientação e treinamento para profissionais exercerem seu trabalho, inclusive quanto a riscos de contágio no ambiente profissional.

“Para se ter uma ideia, a pessoa que fez a denúncia anônima à DPE-SC nos relatou que presenciou um profissional de saúde aplicando nebulização em um paciente confirmado com COVID-19. Sabemos que o efeito produzido pela nebulização é de espalhar o vírus, imagine o estrago que isso pode causar em um ambulatório com diversas pessoas, inclusive aos profissionais de saúde”, conta o defensor público Fernando Correa.

Outro problema foi encontrado no canal atendimento remoto a pessoas com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. O defensor afirma que está desatualizado e continha problemas: “Era um canal com respostas automáticas que nunca foi atualizado, desde a sua implementação, há cerca de 60 dias. Se a pessoa dizia que não teve febre, por exemplo, já era descartada como um caso suspeito e não recebia atendimento especializado. Atualmente temos outros sintomas que há 60 dias não eram considerados e sabemos que uma pessoa infectada pode não necessariamente apresentar febre”, complementa o defensor público.

Na decisão, a juíza Cibelle Mendes Beltrame determina que o município implemente um plano de contingência para enfrentamento à COVID-19, no qual inclua:

– Um protocolo de atendimento com fluxograma e diretrizes para os profissionais envolvidos (desde a limpeza até o atendimento médico);

– Criação de um grupo gestor formado por profissionais de saúde;

– Adequação do serviço remoto “Alô Blumenau”, que atende remotamente pessoas que apresentam possíveis sintomas de contaminação pelo novo coronavírus;

– Revisão periódica deste plano e os seus respectivos protocolos de atendimento.

Em Blumenau ação civil pública movida pela DPE SC aponta risco a profissionais de saúde que atuam no combate ao coronavírus