EM FUNÇÕES-CHAVES

Procuradoria Geral do Estado e Defensoria Pública do Estado começaram a debater formas de resolver extrajudicialmente litígios na área da Saúde para diminuir a judicialização de questões como fornecimento de medicamentos, responsável por tirar recursos do poder público sem o devido provimento. A questão é grave e o que deveria ser a solução para alguns necessitados torna-se o problema para a coletividade. À frente das conversas estão duas mulheres, a procuradora-geral do Estado Célia Iraci da Cunha e a defensora pública-geral Ana Carolina Dihl Cavalin,  que começaram as tratativas que pode, de forma extrajudicial, dar prioridade à conciliação, a partir de outras experiências em municípios e outros estados da federação. Nesta quinta (7), acompanhada do subdefensor Público-Geral, João Joffily Coutinho,  Ana Carolina foi recebida pelo governador Carlos Moisés, na Casa d’Agronômica, para apresentar dados e mostrar que a déficit no número de defensores públicos em Santa Catarina....Leia a coluna de Roberto Azevedo

 

 

Screenshot 20190208 120255 Chrome copia 1