A Defensoria Pública de Santa Catarina deflagra a partir dessa terça, dia 16 de abril, a IX Força Estadual da Defensoria Pública, que analisará os processos dos presos da região de Araranguá.

Ao todo serão 672 processos analisados nesse mutirão, que vai contar com a participação total de 14 defensores e defensoras públicas.

“ Além de analisar todos os processos de execução penal em trâmite, inclusive em regime aberto, serão avaliadas também as situações processuais dos presos preventivamente”,  informou o coordenador da Força Tarefa, defensor público Renato Moreno dos Santos.

O principal objetivo é justamente minimizar a questão da superlotação carcerária. Ele informou ainda que esse mutirão carcerário deve se encerrar no dia 16 de agosto.  

O Presidio Regional de Araranguá tem capacidade para 244 detentos.  

A referida força contará com a participação voluntária dos Defensores e Defensoras Públicas Renato Moreno dos Santos (Coordenador), Caroline Köhler Teixeira, Felipe Schmitz da Silva, Samara Beatriz Fortunatto Bellan, Carlos Azeredo da Silva Teixeira, João Joffily Coutinho, Edison Marconi Dittrich Schmitt, Ronaldo Francisco, Milton Müller Junior,  Rodrigo Martins Cavalcante Amorim, Pedro Ramos Lyra da Silva, Fernando Correa, Juliana Braidoti Rodrigues e Julia Gimenes Pedrollo.

Valquiria Guimarães

Assessoria de Comunicação

Defensoria Pública de Santa Catarina

 

presidio regional de ararangua nao pode receber presos a partir de julho