Uma das maiores demandas da Defensoria Pública de Santa Catarina se concentra na área cível e da família, com mais de 65% dos casos.  Guarda de filhos e pensão alimentícia estão entre as principais solicitações. Só para se ter uma ideia, apenas na Capital foram 938 ações até agora na área da família.  Ano passado, os pedidos ultrapassaram a 1.300 na Capital. As informações foram apresentadas pelo defensor público Juliano Gonçalves da Silva, de Florianópolis.

No Estado, de acordo com o relatório de Estatística e Produtividade elaborado pela Corregedoria-Geral da Defensoria Pública de Santa Catarina , no semestre de 2019 foram mais 1600 ações ajuizadas pela instituição solicitando guarda de filhos e pensão alimentícia. 

Até o momento foram mais de 110 mil atos na área cível.   Já o  total de atos praticados nesse semestre pela instituição ultrapassaram a 306.334 mil.  

Esse número chama a atenção porque já estão próximos dos números apresentados no ano inteiro de 2018 (365 mil).   “ O que atesta o crescimento da Defensoria Pública em Santa Catarina e a importância que a instituição tem para a sociedade”, fala a Defensora Pública-Geral, Ana Carolina Dihl Cavalin.

Vale destacar que a Defensoria Pública de Santa Catarina assiste pessoas com renda salarial de até 3 salários mínimos, ou seja, pessoas vulneráveis que não tem condições de pagar por um advogado.

Na Capital, por dia 100 pessoas são assistidas na Defensoria Pública de Santa Catarina.  Em Joinville, esse número é de 60 por dia.

 

Valquiria Guimarães

Assessoria de Comunicação

Defensoria Pública de Santa Catarina 

 

20190528 150247 copia 1