A Defensoria Pública de Santa Catarina, núcleo de Joinville, através do defensor público Djoni Luiz Gilgen Benedete, participou na quarta, dia 2 de outubro, de um debate promovido pela Associação Empresarial de Joinville – ACIJ. O debate era a respeito dos impactos causados pela judicialização da saúde.  Na oportunidade, ele expôs a atuação da Defensoria Pública do Estado na área de saúde pública e apresentou o entendimento recente do Judiciário brasileiro a respeito da questão.

Ele comentou que em Joinville a Defensoria Pública de Santa Catarina tem conseguido resolver entre 35% e 40% dos casos sem ação judicial. “ Mediante orientação jurídica dos assistidos ou resolução extrajudicial após contato com a Secretaria Municipal de Saúde de Joinville”, afirma

Em Joinville  -  Em média 35 assistidos por mês buscam a Defensoria Pública em Joinville para resolver casos envolvendo questões de saúde.  A maioria dos casos envolve pedidos de medicamentos para tratamento de problemas cardíacos, prevenção de AVC/trombose e antidepressivos. Ainda os outros casos envolvem pedidos de adiantamento de consultas e cirurgias, relacionados a pessoas que estão em filas de espera do SUS aguardando e não têm previsão de atendimento pela rede pública de saúde.

Valquiria Guimarães

Assessoria de Comunicação

Defensoria Pública de Santa Catarina

 

43e58220 7452 4994 96cc 13ded8d42222