NUDEM pede providências à Secretaria Estadual de Saúde para redução de contaminação de gestantes e puérperas pela Covid-19

NUDEM pede providências à Secretaria Estadual de Saúde para redução de contaminação de gestantes e puérperas pela Covid-19

12/04/2021 Notícias 0

Na última sexta-feira (9 de abril), o Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres, da Defensoria Pública de Santa Catarina, expediu ofício à Secretaria Estadual de Saúde solicitando a adoção de providências com vistas a reduzir os riscos de contaminação de gestantes e puérperas por Covid-19 e prevenir complicações no parto e óbitos maternos e neonatais.

No ofício, a coordenadora do NUDEM, Anne Teive Auras, lembra que gestantes e puérperas até duas semanas após o parto (incluindo as que tiveram aborto ou perda fetal) fazem parte do grupo de risco por infecção da Covid-19 e que 77% de todas as mortes de gestantes e lactantes infectadas com o novo coronavírus no mundo ocorreram no Brasil. 

“Os dados apresentados pelo Brasil são muito preocupantes. Há evidências científicas no sentido de que a gestação e o pós-parto aumentam o risco de complicações e morte pela doença, mas os altos índices de mortalidade materna em nosso país decorrem, também, de falhas na assistência ao pré-natal, da ausência de divulgação de informações simples sobre os riscos e as medidas individuais de proteção, além da falta de insumos e de testes”, pondera a defensora, que também destaca, no ofício, que mulheres negras têm risco de morte duas vezes superior ao de mulheres brancas. 

“Entendemos que é fundamental a adoção de medidas para a redução da mortalidade materna por COVID-19, como a distribuição de máscaras PFF2/N95 às gestantes durante o período de consultas de pré-natal e de internação para o parto, a promoção de campanhas informativas e a observância, por parte das unidades de saúde, das notas técnicas que orientam a testagem e a assistência à saúde das gestantes, puérperas e recém-nascidos frente à Covid-19”, diz a coordenadora do NUDEM.

O ofício foi expedido no âmbito do Procedimento Administrativo de Tutela Coletiva nº 003/2021, instaurado pelo NUDEM para acompanhar a assistência às gestantes e puérperas durante a pandemia de Covid-19. No mês passado, o NUDEM já havia questionado o Ministério da Saúde, em ofício conjunto com as Defensorias Públicas de outros 15 estados da Federação, sobre a inclusão de gestantes e puérperas como grupo prioritário no Plano Nacional de Imunização.